ESTADO. Com Troca de farpas e ânimos exaltados, MP do PCCS dos policiais civis é aprovada só com uma emenda

Data do post: 11/12/2013 - Visualizações: 147

A sessão de votação da Medida Provisória que trata do PCCS da Polícia Civil é marcada por várias discussões e troca de farpas entre parlamentares do governo e da  oposição. O motivo dos questionamentos foi duas emendas apresentadas por José Bonifácio (PR) e José Roberto Forzani (PT) que visam atingir policiais remanescentes de Goiás e os que não progrediram na carreira. O líder do governo Carlão da Saneatins (PSDB) pediu que os deputados rejeitem as emendas. Ele já anunciou antes da sessão que se as emendas forem aprovadas o governador Siqueira Campos vai vetar.

A emenda do deputado José  Roberto foi rejeitada em plenário por 11 votos a nove o que gerou insatisfação na categoria já a do deputado José Bonifácio foi aprovada. Após várias discussões a matéria foi aprovada em primeira fase de votação por todos os parlamentares.

Os ânimos foram exaltados entre os policiais que acompanham a sessão e o presidente da Casa, Sandoval Cardoso (SDD) chegou a pedir que se mantenha a ordem em plenário e nas galerias.

Discussões

Bonifácio e Forzani foram à tribuna defender as emendas e foram aplaudidos pelo grupo de policiais que acompanha a sessão. Por outro lado os deputados governistas argumentaram que o governo não tem condições de arcar financeiramente com o impacto que a emenda de José Roberto causaria.

Na discussão, o deputado recém- governista Stalin Bucar (SDD) atacou o colega autor da emenda, José Roberto. “Quer assumir uma responsabilidade que assuma como estamos assumindo de rejeitar sua emenda. Num passado bem próximo Vossa Excelência tinha um procedimento e agora quer fazer media com alguns achando que isso vai lhe render votos”, disse.

O deputado Freire Junior (PV) alegou falta de consistência na argumentação da base do governo, que alega inconstitucionalidade nas emendas, para rejeitar a emenda do petista. Manoel Queiroz (PPS) chegou a dizer que os deputados do governo tentam subestimar os colegas.

O deputado Sargento Aragão (PPS) ironizou a justificativa do governo de impacto financeiro em razão da emenda polêmica. “Parece que aqui só tem analfabeto”, criticou.

Osíres Damaso (DEM) afirmou que muitos policiais não tinham como progredirem na carreira e que o governador através da MP dá  oportunidade para todos . “A emenda do deputado José Roberto tem vício que vai gerar ônus para o Executivo”, disse.

Fonte: CONEXÃO TOCANTINS Foto: Divulgação

PUBLICIDADE

Siga-nos

2014 - Mouranet - O Primeiro Portal do Notícias de Tocantinópolis - TO - Todos direitos reservados...

Site desenvolvido por: Dionei Moreno